Pages

11.5.08

Heil Hitler?

Há indícios de que Hitler não tenha sido o maior assassino da história da humanidade: estima-se que mandou executar onze milhões de pessoas, porém, Stálin chega a atingir a marca das 35 milhões e Mao Tsé-Tung, 85 milhões no extremo oriente.
Hitler não só é o mais famoso pelo aberto anti-semitismo que pregava e pelas atrocidades cometidas (já que essas atrocidades também aconteciam na União Soviética e na China, respectivamente), mas sem dúvida, o fator decisivo para sua fama, deve-se à seu reinado ter acontecido na parte mais Ocidental do mundo, e de forma mais aberta.
Autor de 'Mein Kampf', e um estrategista de dar inveja, acho que Hitler pecou apenas por ter incluído em seu regime totalitário dois fatores: a perseguição racial e o anti-semitismo.
Esses dois fatores e sua total falta de humanidade é o que o assemelham à figura do próprio demônio, que mascara, querendo ou não, sua vontade de tornar a Alemanha um país próspero e acabar com sua submissão às outras potências do período entre guerras. Um sentimento nacionalista, que realmente levou o país ao topo do mundo, e que assim o estaria até agora, não tivesse conseguido isso por caminhos errados.
Erros esses, nem digo que são do não-cumprimento do Tratado de Versalhes, ou pela própria implantação de um regime extremamente autoritário (o que fazia-se necessário em praticamente toda a Europa na época), mas apenas, pela execução de 11 milhões de vítimas, sendo estas, 6 milhões de judeus.
Hitler, é uma daquelas figuras que mesmo depois de tantos anos causam nojo nas pessoas. Não só pela sua ideologia de culto à raça ariana (uma raça cuja superioridade ele próprio inventou), mas, principalmente pelo domínio que através da propaganda, da censura e de culto à seus feitos, ele conseguiu realizar na década de 30 e primeira metade de 40. Essa política também foi adotada aqui no Brasil por esse período, na forma do populismo, se estendeu até a Argentina na verdade, mas isso, é assunto pro próximo post.

Nenhum comentário: