Pages

30.3.09

Chico Buarque, constituinte


Chico Buarque de Hollanda tem exercido o poder constituinte em minha geração. O poder de constituir-se portador da marca do seu tempo.
Uma geração é um ciclo biológico e, se cumpre o desígnio de constituir-se como marca de uma época, é também um ciclo histórico. Tal poder para cumprir e tal desígnio de geração, alguns o têm.
Assim o tem tido Chico Buarque.
Ao longo dos seus sessenta anos - quarenta deles, pelo menos, de vida publicada - Chico tem exercido, ou melhor, exercitado o poder constituinte através das formas a um só tempo eternas e renováveis de criação artística. Em tudo, da exaltação da música e da poesia à emoção do combate cívico; da embriaguez pelo elixir da paixão ao sorver sóbrio da inteligência e da sensibilidade. Em tudo, Chico Buarque tem sido levado a fazer-se fonte, a tornar-se ponte, a seguir-se em caminhos por onde trilham geraçãos como a minha, a nossa, rumo aos livros de história.

Nenhum comentário: