Pages

5.4.09

Estamos sozinhos em um universo caracterizado pelo sem-sentido e absurdo. Por isso a náusea; esta intuição/percepção ou constatação da condição de precariedade, susceptibilidade, solidão, sentimento de absurdo e incomunicabilidade, que nos atravessa e envolve até quase sufocar desde os primeiros momentos de nossa vida consciente. A experiência da náusea não se resume à dimensão meramente intelectual ou teórica, é uma experiência física, constatável orgânica e psiquicamente, algo a envolver todo o nosso ser. Algo mais do que um mero espanto, condição fundamental para o conhecer. É a percepção/intuição de nosso preciso lugar no universo e ao mesmo tempo do lugar ocupado pelo universo na determinação de quem somos. O que fizeste da tua vida? Não adiantará buscar justificativas ou desculpas: todos somos responsáveis pelo o que existe, na forma como existe, e também somos responsáveis pelo o que é (ou não conseguiu tornar-se).
Somos as nossas ações e escolhas e as ações e escolhas de outros, que nem sequer conhecemos. O mundo no qual vivemos, no que possui de melhor ou pior, serve-nos como espelho, a indicar o caráter, a qualidade e o significado das escolhas que fizemos.

Nenhum comentário: