Pages

9.9.09

.:. Ismália

Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.
.
No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...
.
E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar...
Estava perto do céu,
Estava longe do mar...
.
E como um anjo pendeu
As asas para voar...
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar...
.
As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par...
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar.
.
.
Alphonsus de Guimarães - 2ª geração romântica; Um dos meus poemas preferidos de todos os tempos. Mesmo com as três escolas literárias necessárias para destronar o romantismo - parnasianismo, naturalismo e realismo - ainda sim, o romântico do século XIX é tão atemporal e onipresente, que sempre vai estar intrínseco à contemporaneidade da nossa literatura. E diga-se de passagem, que literatura.

Nenhum comentário: