Pages

5.11.09

Bem guardado nos diários de Andy Warhol

Numa das minhas intermináveis conversas sobre a vida, os amores, as dores, as alegrias e tudo mais com a Nayara, nós duas falamos sobre o "Respeite a natureza". Contextualizando tudo, passamos a adaptar isso à vida. O "Respeite a Natureza" é, sem duvida, o respeito ao ser humano, aos próprios sentimentos, dores, faltas, "tempos", esperas, acontecimentos. É um dos meus defeitos (será muito defeito?) ser imediatista. Querer que tudo aconteça. Mas não assim normalmente. "Eu quero tudo e quero agora". Às vezes isso angustia, mas te faz correr atrás das coisas. Quando essa angústia chega, o primeiro pensamento que tende a vir precisa ser o respeite a natureza. Das coisas, do tempo, do sofrimento, do corpo. Saber que não adianta pular etapas e nem se afogar dentro do mais obscuro que existe em ti. Respeitar o que é o ser humano enquanto dor e felicidade. Vida pra continuar e, às vezes, um nó na garganta pra carregar. Às vezes as pessoas deixam que os mesmos problemas as tornem infelizes por anos à fio, quando deveriam dizer apenas e daí? Essa é uma das minhas expressões favoritas; e daí? minha mãe não gostava de mim. E daí? Meu marido não faz amor comigo. E daí? Não sei como consegui sobreviver aqueles anos todos, antes de aprender esse truque. Custei muito a aprendê-lo - mas uma vez que a gente aprende, nunca mais esquece.

Nenhum comentário: